Saque Imediato e Saque Aniversário – Entenda a diferença

De acordo com a Medida provisória nº 889/2019, o governo liberou duas novas opções de saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço): o saque imediato, de até R$ 500 por conta do fundo e que já começou, e o saque-aniversário, que começa no ano que vem. Como as novas regras foram divulgadas ao mesmo tempo, isso tem gerado dúvidas entre os trabalhadores. Veja abaixo a diferença entre essas duas modalidades…

  • Saque Imediato: o trabalhador poderá sacar até R$ 500 de cada conta do FGTS, ativa (do emprego atual) ou inativa (de empregos antigos). O saque já começou pelos clientes que possuem conta poupança na Caixa, sendo realizado o credito automático e, em 18 de outubro, começa para quem não é cliente, os saques inferiores a R$ 100,00 poderão ser feitos em lotéricas, com apresentação do RG e do CPF, quem possuir o Cartão Cidadão poderá efetuar o saque no caixa eletrônico do banco, de acordo com o mês de aniversário do trabalhador.

O saque é obrigatório? Não, o saque é opcional. Se o trabalhador não sacar, o dinheiro continua em sua conta do FGTS. No caso de quem tem conta poupança individual na Caixa, o valor será creditado automaticamente. Se quiser que o dinheiro fique no FGTS, terá de avisar o banco.

Quem fizer esse saque perde o direito de tirar todos os recursos do FGTS no caso de demissão sem justa causa? Não, nada muda em relação ao saque do FGTS em caso de demissão

  • Saque de Aniversário: O saque-aniversário é uma nova opção para o trabalhador, que permitirá sacar uma parte do dinheiro do FGTS todos os anos (além das regras normais já existentes). Começa a valer a partir de 2020.

O saque anual é obrigatório? Não, ele é opcional. Quem quiser aderir a essa modalidade precisa informar à Caixa. A adesão começou na terça-feira (01/10/19). Quem não procurar o banco permanecerá na regra anterior (só sacar o dinheiro nas condições que já existiam antes: para comprar a casa própria, se for demitido sem justa causa etc.). O trabalhador poderá sacar uma parcela de 5% a 50% do que tem na conta do FGTS, mais um valor fixo todo ano, dependendo de quanto tem de saldo. Quem optar pelo saque-aniversário só poderá voltar para a modalidade anterior após dois anos.

Quem opta pelo saque-aniversário perde o direito de tirar todos os recursos do FGTS no caso de demissão sem justa causa? Sim, quem optar pelo saque anual não poderá sacar o saldo total da conta se for demitido sem justa causa. Só receberá a multa de 40% do FGTS, que não muda.

A partir de 2021, a liberação ocorrerá no mês de aniversário do trabalhador, que deverá escolher o dia 1º ou 10 do mês. Segundo a Caixa, a diferença é que, ao optar pelo 10º dia, a base de cálculo do valor a receber será acrescida de juros e atualização monetária do mês de saque.

Para mais informações, acesse o site caixa.gov.br